Ministro e governador apoiam lançamento do Plano de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para o Nordeste

Evento em Fortaleza, no BNB, terá a participação dos estados com instituições de ciência, tecnologia e inovação

Cláudio Ricardo, Ariosto Holanda, Domingos Filho e Cid Gomes

O lançamento do Plano de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para o Nordeste, em Fortaleza, agora só depende de data comum na agenda do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e do governador do Ceará, Cid Gomes. O ministro já anunciou o interesse em vir lançar o plano. E o governador manifestou apoio à ideia, apresentada na sexta-feira (dia 15) pelo deputado Ariosto Holanda.

 

“O ministro é muito simpático à ideia e acenou que não terá dificuldade de criar o Conselho Deliberativo de Científico e Tecnológico para o Nordeste”, disse Ariosto Holanda. O agente financeiro, segundo ele, será o BNB, que receberá, conforme a proposta, o percentual dos fundos setoriais que cabe ao Nordeste para fazer a política demandada pelos estados da região, definida pelo Conselho, a ser presidido pelo ministro e integrado pelas instituições regionais de CT&T.

 

Com base no cálculo de que o orçamento anual dos fundos setoriais é de R$ 1,5 bilhão para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste que correspondem ao direito de receber 30% do total, numa estimativa modesta o Nordeste teria R$ 500 milhões para financiar seus projetos de ciência, tecnologia e inovação, assinala Ariosto Holanda. O deputado informou que trabalha com a bancada do Norte para também defender a aplicação regional no modelo proposto pela Bancada do Nordeste para os estados da região.

 

Ao receber a proposta de sediar o lançamento, Cid Gomes perguntou ao deputado se o Plano necessita de projeto de lei ou pode ser criado por meio de ato normativo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ao receber a confirmação de que basta o ato normativo do ministro, o governador aprovou a proposta e concordou em participar do lançamento, um grande evento com a presença dos reitores das Universidades e Institutos Federais da região, Secretários de Ciência e Tecnologia, presidentes de Federações das Indústrias e da Agricultura, chefes da Embrapa e dois deputados federais de cada estado. Conforme o deputado, o Plano é da Bancada do Nordeste, no qual foi o relator.

 

“Solicitação aprovada”, afirmou Cid Gomes. O atual critério de aplicação dos recursos dos fundos setoriais administrados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) por meio de editais nacionais, de acordo com Ariosto Holanda, “é uma forma de tratar igualmente os desiguais. Em muitos casos, estados não têm sequer condições de participar do edital, mas que têm suas demandas para fortalecer a base de ciência, tecnologia e inovação”.

 

Stelio Gama e o presidente da Federação da Agricultura no Ceará, Flávio Saboya

O Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci) do BNB, disse o diretor de Gestão do Desenvolvimento do banco, Stélio Gama, conta este ano com orçamento de R$ 25 milhões. Com a operação do Plano, o Fundeci poderá receber cerca de R$ 500 milhões a mais, estima Ariosto Holanda. Para sediar o evento do lançamento do Plano no Ceará, o BNB entrará com as despesas operacionais.

 

O deputado observou que o ministro Marco Antonio Raupp está pronto para receber o presidente do BNB, Ary Joel, tão logo este marque audiência para discutir o papel do banco como agente financeiro do Plano de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para o Nordeste. Ariosto Holanda fez uma exposição sobre o Plano na reunião com as instituições que discutiram com o governador o Programa de Assistência Tecnológica às Micro e Pequenas Empresas, às quais pediu para divulgarem a ideia nas universidades, institutos e federações.

 

FONTE: Flamínio Araripe